Peixe – Dourado

o rei dos rios

O Dourado

Considerado o “Rei dos Rios”, a elegância, rapidez nos movimentos, beleza de forma e cores e a extrema voracidade fazem do Dourado, o mais esportivo dentre os peixes de água doce do Brasil. Esta bela espécie, apresenta corpo de coloração amarelo‐ouro cintilante nos flancos e o dorso dourado‐esverdeado. Este padrão de cor lhe confere o nome internacional de “Golden Fish”.

Suas nadadeiras e cauda amareladas com extremidades alaranjadas e avermelhadas torna esta espécie, uma verdadeira obra de arte. Devido a sua voracidade e esportividade, o Dourado é um peixe bastante popular entre os apaixonados pela pesca. Tornou‐se um valioso produto quando comercializado vivo para os pesque‐pagues. Sua carne, extremamente saborosa, é também muito apreciada e valorizada no mercado

A Pescaria

O Dourado tem a boca óssea e muito dura e isso se torna um problema para utilização de iscas artificias e anzóis tradicionais. Para iscas artificiais, é recomendado que sejam em tamanhos menores para melhor se acomodarem em sua boca e com garateias bem afiadas. Geralmente, as melhores iscas são o plugs de meia água e as colheres. Na pesca com anzol, ele também deve ser bem afiado e resistente. O tamanho do anzol deve ficar entre o 5/0 e o 8/0.

Por possuir uma dentição muito afiada, é indispensável o uso de embates flexíveis (chamados também de castor, encastor, cabo de aço, etc..) para evitar que a linha se parta em sua boca. Use o tamanho do cabo de aço com pelo menos o dobro do tamanho da isca que está utilizando e no mínimo 40 libras. Para a pesca com iscas naturais, as que dão melhor resultado são o lambari, a enguia, a tuvira e o piau. Deixe a isca descer levemente para que o seu comportamento seja o mais natural possível evitando que a isca gire dentro da água ou tenha um comportamento errático. Também evite se possível (dependendo da localização) o uso de combos/chumbadas pelo mesmo motivo.

Os melhores horário de sua pesca são os tradicionais, logo pelo início da manhã e mais ao fim da tarde. Existem alguns relatos de pescadores conseguiram uma pesca produtiva a noite que é algo tradicionalmente incomum. A vara deve ser de ação rápida (mais dura) para que a fisgada seja mais firme e ter pelo menos 30 libras para aguentar a pressão. A linha a sugestão é que seja de multifilamento e a partir de 25 milímetros.

Após ser fisgado, o Dourado é um show a parte com seus pulos fora da água. Nesse momento, o pescador não pode afrouxar a linha para evitar que ele escape ou chegue a passa-la na boca

Cadastre-se para receber gratuitamente as
nossas news no seu e-mail em primeira mão.

Nome:
O seu melhor e-mail: